Calendário de eventos astronômicos de 2019

O ano de 2019 está repleto de fenômenos astronômicos para os amantes da astronomia. Confira a seguir alguns dos principais eventos do ano:


[column col=”1/4″][/column][column col=”3/4″]Chuva de meteoros Quadrântidas.

Infelizmente, devido a posição de onde vêm os detritos que proporcionam a essa chuva de meteoros, que será uma das maiores do ano, será melhor apreciada pelo hemisfério norte. Mas, nós no hemisfério sul ainda poderemos ver alguns meteoros à nordeste… Como a maioria das chuvas de meteoros, esta ocorre por aproximadamente uma semana, com o pico de maior incidência no dia 03 de janeiro.

[/column]


[column col=”1/4″][/column][column col=”3/4″]Eclipse Solar Parcial.

O eclipse solar do dia 6 de janeiro não poderá ser visto do Brasil, mas para quem puder visitar a Ásia e partes do Pacífico neste dia poderá ver o fenômeno que encobrirá 71% do disco solar.[/column]

 


[column col=”1/4″][/column][column col=”3/4″]Primeira missão tripulada da SpaceX.

Está marcado para o dia 17 de janeiro o voo teste da primeira missão tripulada da SpaceX para a ISS, a Estação Espacial Internacional. A missão servirá principalmente para coletar dados sobre o desempenho do foguete Falcon 9. Quatro astronautas da NASA, a Agência Espacial Americana, compõem a tripulação: Bob Behnken, Doug Hurley, Victor Glover e Mikle Hopkins. Trata-se de mais um marco para a história da astronáutica, onde as empresas privadas se fazem cada vez mais presentes. Neste sentido a SpaceX, do empresário Elon Musk, lidera como a empresa com projetos mais sólidos e promissores do mundo. A mesma empresa também planeja levar o homem à Marte em 2024. Aguardamos ansiosamente…

[/column]


[column col=”1/4″][/column][column col=”3/4″]Eclipse Lunar Total.

Os eclipses lunares sempre são muito admirados, principalmente os totais. Todo o Brasil será contemplado com a visibilidade do fenômeno! A Lua começará a ser encoberta pela sombra da Terra, chamada de “umbra”, à 01h34min da madrugada do dia 21, horário (de verão) de Brasília. A fase total do eclipse – quando a Lua ficará totalmente encoberta pela sombra da Terra – iniciará às 02h41min e terminará às 03h43min do dia 21 de janeiro, durando cerca de 1h02min. Após esse período de totalidade, ela ainda permanecerá parcialmente eclipsada até às 04h51min.

Não perca este evento, o próximo eclipse total completamente visível do Brasil será em 2022!!!

Visite a matéria dedicada ao eclipse do dia 21 de janeiro de 2019 no link a seguir e saiba tudo sobre este maravilhoso espetáculo da natureza: http://planetariodevitoria.org/wp-content/uploads/2019/01/Nota_Imprensa_Eclipse_Lunar-20-21jan2019-2.pdf

[/column]

 


[column col=”1/4″][/column][column col=”3/4″]Perigeu do cometa C/2018 Y1 Iwamoto.

No dia 11 de fevereiro o cometa C/2018 Y1 Iwamoto atingirá seu perigeu, ou seja, o ponto de sua órbita mais próximo do Sol. Este cometa foi recém descoberto e é possível que seja visível a olho nu nesta data.[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Super Lua.

No fenômeno “Super Lua”, a mesma fica mais que 10% maior e até 30% mais brilhante. Isso acontece quando no mesmo dia ocorre a máxima aproximação da no nosso satélite a Terra, ou seja, atinge o perigeu, juntamente com a Lua Cheia. É um espetáculo no céu noturno…[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Chuva de Meteoros Liriadas.

Trata-se de uma das mais intensas chuvas de meteoros, em alguns anos pode-se conferir 100 meteoros por hora. Entretanto, em 2019 a mesma pode apresentar cerca de 15 meteoros por hora durante o pico em 22 de abril. Será visível por todo o planeta.

[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Chuva de meteoros Eta-Aquaridas.

Esta chuva de meteoros pode produzir aproximadamente 50 meteoros por hora e também poderá ser vista por todo o planeta. Procure um lugar pouco iluminado par apreciar esse incrível fenômeno natural.

[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]100º Aniversário do eclipse de Sobral-CE.

Não se trata de um fenômeno no “céu de 2019”, mas do aniversário de um dos fatos mais importantes para a história da ciência. O eclipse em questão foi no dia 29 de maio de 1919, teve início às 8h55min e durou cinco minutos e 13 segundos. Neste dia, os pesquisadores ingleses Andrew Crommelin e Charles Davidson montaram na Praça da paróquia do Patrocínio em Sobral no estado do Ceará seus telescópios, munidos de dezenas de placas fotográficas para capturar imagens em torno do Sol durante o eclipse. A expedição foi obra do grande astrônomo inglês Arthur Eddington que no mesmo dia observava o fenômeno em Roça Sundy, na Ilha de Príncipe juntamente com o colega Frank Dyson. Mas, em príncipe o tempo não colaborou e coube a Sobral protagonizar uma das mais importantes observações celestes da história da ciência. Com as fotografias de Crommelin e Davidson (e muitos e muitos cálculos posteriores) foi possível comprovar as idéias do grande Físico Alemão Albert Einstein a respeito do universo: A Relatividade Geral.

Na teoria da Relatividade Geral o espaço e o tempo formam uma espécie de tecido que a própria gravidade o deforma. Até a luz pode sofrer desvio de trajetória nessas deformidades criadas pela gravidade, especialmente em torno de grande astros como o Sol. Comparando-se as fotografias das estrelas próximas à coroa solar durante o eclipse com as fotografias das mesmas estrelas tiradas em outro momento, poder-se-ia determinar o desvio sofrido pela luz das estrelas por influência da gravidade do nosso Sol. Fotografar estrelas durante o dia sem a influência do brilho ofuscante do Sol só seria possível durante o eclipse. Para a teoria vigente até então, a Newtoniana, deveria se observar um desvio de de cerca de 0,86 segundo de arco. Porém, foi observado um desvio de 1,75 segundo de arco, como previsto pela teoria da Relatividade de Einstein, com alguma incerteza. O experimento então abriu as portas para a teoria de Einstein projetando-o no cenário internacional e escrevendo um importante capítulo na história da ciência.[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Oposição de Júpiter.

Durante a oposição, que é o momento em que um astro fica na mesma direção que o Sol em relação à Terra, porém na posição oposta, o Astro em questão fica muito tempo visível no céu e com um brilho mais intenso. Ou seja, é o melhor dia para observa-lo. Então, preparem as lunetas e telescópios…[/column]

 


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Conjunção Mercúrio e Marte.

A conjunção de planetas é quando os mesmos aparecem próximos no céu, do nosso referencial. É um fenômeno muito interessante de se observar, mas só é visível no início da noite![/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Eclipse Solar Total.

O eclipse total do dia 2 de julho poderá ser visto no Pacífico Sul, Chile e Argentina. Apenas as regiões Centro-Oeste e Norte poderão apreciar o fenômeno de forma parcial com no máximo 60% de cobertura do disco solar.

No link a seguir da NASA pode-se conferir alguns detalhes do Eclipse total do dia 2 de julho: https://eclipse.gsfc.nasa.gov/SEplot/SEplot2001/SE2019Jul02T.GIF [/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Oposição de Saturno.

Durante a oposição os Astros ficam mais brilhantes e ficam visíveis por mais tempo durante a noite, por conta da própria posição de oposição que se encontram. É o melhor dia do ano para observar o Astro famoso por seus anéis.[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Oposição de Plutão.

Melhor dia para se observar o planeta anão mais famoso do Sistema Solar. Preparem o telescópio pois o astro não é visível a olho nu.[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Eclipse Lunar Parcial.

Este eclipse Parcial também será visível do Brasil, entretanto apenas da África, Europa, parte da Ásia e da Austrália poderão apreciar o fenômeno deste dia por completo. Como é um eclipse parcial, apenas uma porção do disco lunar será encoberto pela sombra da Terra, em torno de 65%. Informações sobre o evento em:https://eclipse.gsfc.nasa.gov/LEplot/LEplot2001/LE2019Jul16P.pdf [/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Aniversário do primeiro pouso na Lua.

Mais uma data comemorativa no nosso calendário. É o 50º aniversário do “pequeno passo para um homem e um grande passo para a humanidade” protagonizado por Neil Armstrong juntamente com o colega Buzz Aldrin, os primeiros homens a pisar na Lua. Diversas comemorações serão realizadas ao redor do globo deste fato memorável de nossa história.[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Chuva de meteoros Delta Aquarídeas Austrais.

Mais uma importante e espetacular chuva de meteoros no ano. Produz cerca de 15 meteoros por hora durante o pico do dia 29 de julho.

[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Chuva de meteoros Perseidas.

A chuva de meteoros de Perseidas é uma das maiores do ano com cerca de 80 meteoros por hora durante o pico do dia 13 de agosto.

[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″] Periélio do cometa 322P/SOHO.

Este é o dia em que o cometa 322P/SOHO (o primeiro cometa periódico descoberto pelo observatório solar SOHO) fica mais próximo do Sol em sua órbita ao redor do Astro. Talvez o cometa seja visível a olho nu nesse dia.[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Oposição de Netuno.

Este planeta só é visível com o auxílio de telescópio. Contudo, este é o melhor dia para observa-lo devido a sua posição.[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Chuva de meteoros Orionidas.

Esta chuva de meteoros poderá ser observada no pico do dia 21 de outubro a uma taxa de aproximadamente 20 meteoros por hora.

[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Oposição de Urano.

Este planeta também só é visível com o auxílio de telescópio. Contudo, este é o melhor dia para observa-lo devido a sua posição.[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Trânsito de Mercúrio no disco solar.

Este fenômeno é muito raro, neste século será possível de ser visível apenas 14 vezes. Poderá ser visto pela maior parte do nosso planeta, inclusive pelo Brasil. Mas, muito cuidado!!! Você só poderá observar o fenômeno com um telescópio solar apropriado, com os devidos filtros. Pode-se perder a visão sem a proteção adequada.[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Chuva de Meteoros Leonidas.

Com aproximadamente 100 meteoros por hora, esta chuva de meteoros é uma das maiores do ano. Procure um lugar pouco iluminado para observar o belo espetáculo.

[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Chuva de Meteoros Geminidas.

Outra espetacular chuva de meteoros do ano. Pode produzir até 80 meteoros por hora.

[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Periélio do cometa 289P/Blanpain.

Mais um cometa em seu periélio no ano. É possível que seja visível a olho nu.[/column]


[column col=”1/4″]

 

 

 

[/column][column col=”3/4″]Eclipse Solar Anular.

Este eclipse não poderá ser visto do Brasil, entretanto proporcionará um belo espetáculo de 3 minutos e 40 segundos ao Sudeste da Ásia. Um ótimo presente de fim de ano para os amantes da Astronomia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *